Por que medir a temperatura ambiente e mantê-la dentro das normas?

Atualizado: 10 de mar.

Medir a temperatura de ambientes é uma atividade tão corriqueira que, muitas vezes, a realizamos de maneira automatizada, até mesmo ignorando a sua relevância.

Acontece que este procedimento é muito importante, sendo necessário sempre estar atento, afinal, ele impacta desde a execução eficiente das rotinas diárias até a preservação de produtos, alimentos, estruturas, dentre outros.

E além da sua importância este também é um processo complexo e técnico, dado que, medir a temperatura ambiente demanda um conhecimento mínimo sobre instalação de sensores, controle e análise dos dados obtidos.

Essa mensuração é obrigatória dentro dos locais onde os colaboradores de uma empresa trabalham. A legislação brasileira deixa claro quais são as condições ideais para o bem-estar do trabalhador e para os locais de armazenamento de produtos que dependem da temperatura para manter suas características.

Diante disso, neste artigo nós vamos falar sobre medir e controlar a temperatura ambiente e como isso pode evitar a falta de eficiência e prejuízos para as empresas. Gostou desta proposta? Então continue com a gente!

Como medimos a temperatura?

Ao medirmos a temperatura, na verdade, estamos utilizando uma substância ou propriedade termométrica que varia uniformemente conforme a temperatura sofre uma variação. Por exemplo: o termômetro digital portátil que utilizamos em nossas casas para medir a temperatura corporal se baseia na diferença de resistência elétrica que ocorre com a variação da temperatura.

Quanto maior é a temperatura, maior é a resistência do fio condutor, fazendo com que menos eletricidade o percorra. Logo, a medida da eletricidade nos fornece o valor da temperatura.

Fazer a medição de temperatura em ambientes de trabalho, seja dentro das áreas de produção das indústrias, seja nos locais menos movimentados, como nas áreas de armazenamento ou depósitos, além de obrigatório é essencial para a saúde dos colaboradores, diminuição de riscos e aumento da produtividade.

Medir a temperatura das áreas de trabalho é fundamental em muitos processos, nos vários setores das indústrias, pois garante a qualidade final de vários produtos, matéria-prima, alimentos e medicamentos.

A conservação ideal permite que as características e propriedades dos produtos não sejam afetadas, mantendo a qualidade e eficiência esperadas.

Podemos citar como exemplo os elementos biológicos que precisam ser examinados para a confirmação de características finais. Caso o controle de temperatura não seja eficiente, os resultados das análises podem causar grandes prejuízos e danos à empresa e, consequentemente, aos seus clientes e consumidores.


Os problemas surgem ao não controlarmos a temperatura

A mensuração da temperatura deve ser realizada de forma constante, caso contrário, pode trazer impactos negativos, como deixar a produção menor e mais lenta, fazer com que os produtos estraguem, tornar alguns processos falhos, trazer insegurança, aumentando os riscos de acidentes, além de prejudicar o bem-estar dos colaboradores, entre outros.

Assim, fatores importantes relacionados à vida humana, à saúde e ao bem-estar têm relação com a temperatura do ambiente de trabalho. Um exemplo são os lugares onde trabalhadores expostos a altas temperaturas apresentam muitos problemas de saúde.

Existem casos em que o calor causa desequilíbrio fisiológico, prejudicando o funcionamento do organismo e órgãos não recebem a oxigenação necessária, principalmente o cérebro e o coração. Uma das consequências é conhecida como síncope pelo calor.


Medir e controlar a temperatura é uma atitude preventiva

Analisando o controle de temperatura voltado para a necessidade de conservar medicamentos e alimentos, percebemos que é preciso ter cuidado para manter suas características físicas e químicas que fazem com que tenham as suas propriedades inalteradas.

Logo, o controle de temperatura em farmácias, postos de medicamentos e de alimentos é essencial para manter a preservação de suas propriedades, mantendo intactos seus princípios ativos.

No âmbito de clínicas, farmácias e até mesmo em hospitais é necessário haver um controle rigoroso dos ambientes que possuem medicamentos armazenados, pois podem ocorrer contaminações, dentre outros.

A medição de temperatura, muitas vezes, permite determinar se algum equipamento ou máquina está emitindo mais calor do que deveria.

Isso faz com que os empresários possam tomar a decisão de mandar para manutenção o maquinário que apresenta problemas, diminuindo possíveis perdas futuras no que se refere à própria máquina e ao ambiente de trabalho e seus produtos.

Um dos fatores mais importantes para observar o controle da temperatura está na força de trabalho. Pesquisas revelam que profissionais trabalhando em locais com temperaturas muito elevadas têm uma tendência natural de ter sua produtividade reduzida. Riscos de acidentes aumentam quando operadores de máquinas trabalham em temperaturas muito altas.


Como medir e controlar a temperatura eficientemente?

Dois fatores são muito importantes quando falamos em medir e controlar a temperatura: o tipo de equipamento e a maneira como será utilizado.

Para obter informações precisas é necessário usar instrumentos certificados, de alto padrão de qualidade, que têm tecnologia suficiente para que os resultados sejam realmente eficientes.

Quando falamos em termômetros e sensores de temperatura, devemos estar atentos às diversas tecnologias, à maneira como eles devem ser utilizados, assim como levar em consideração fatores que podem interferir nesse processo, como a umidade do ar. Além disso, é necessário analisar como será feito o gerenciamento dos dados que serão obtidos.

O monitoramento da temperatura dos ambientes de trabalho deve ser constante. Por isso, a utilização de modernos equipamentos e programas ajuda no desenvolvimento dessa atividade.


Por que existem oscilações quando medimos a temperatura ambiente?


Quando falamos em monitorar a temperatura de determinado ambiente que contém medicamentos, alimentos ou qualquer outra necessidade relacionada à temperatura, temos de estar atentos a vários fatores que podem fazer com que a medição seja mais precisa.

Muitas oscilações podem acontecer quando não são utilizadas técnicas corretas; logo, é necessário um estudo do local para saber onde e como serão utilizados os devidos sensores. Os locais onde serão colocados os sensores ou termômetros para que as avaliações de temperatura não sofram muitas oscilações, dando a leitura correta do local, é fator primordial.

Além de tudo isso, os termômetros ou sensores térmicos devem estar muito bem calibrados e permitirem a calibração frequente, caso se faça necessário.

Os programas e sistemas relacionados ao controle de temperatura de ambientes devem levar em consideração todos os fatores que possam criar variações nas leituras. Como exemplo, podemos citar a convecção, que é o processo em que a temperatura faz com que fluidos diminuam ou aumentem a densidade.


A convecção do ar e a leitura correta da temperatura ambiente


Quando aumentamos a temperatura de um fluido, como o ar em um ambiente, esse fluido aumenta a agitação das moléculas que o formam, fazendo com que estas se distanciem, tornando-o menos denso. Então, há uma tendência natural de um fluido, como o ar, por exemplo, subir quando está quente e um fluido frio, mais denso, descer no ambiente.

Dessa forma, ao ser realizada uma medição de temperatura em um ambiente, fatores como a convecção precisam ser levados em consideração, pois sensores em locais errados e sistemas de controle e análise de dados inapropriados podem registrar variações imensas de temperatura em um mesmo ambiente.

Existem técnicas específicas para fazer uma média ponderada nos sistemas dos vários sensores e dos detalhes em uma medição de temperatura. Manter o controle não é tão simples. Por isso, equipamentos corretos podem ajudar bastante no trabalho.


Na indústria, o controle de temperatura auxilia muito na produção


Muitos equipamentos necessitam trabalhar em determinadas temperaturas ou então podem apresentar alguns defeitos.

Algumas máquinas, dentro de um ambiente com altas ou baixas temperaturas, podem ter um funcionamento ineficiente ou prejudicado. Isso acarreta prejuízos às indústrias: a linha de produção, muitas vezes, precisa ser interrompida para que a máquina possa ser refrigerada ou aquecida para poder continuar o seu trabalho efetivo.

Em ambientes fechados de fábricas também é muito comum que o excesso de calor ou frio cause problemas na produção. Colaboradores que trabalham em lugares muito quentes ou muito frios têm uma tendência a piorar sua produção, além de tendências a provocar problemas sérios de saúde e prejudicar o andamento das atividades durante o desenvolvimento dos processos.

Nos processos de produção de certos equipamentos, a temperatura precisa estar dentro de uma faixa correta ou alguns componentes podem apresentar defeitos.

Temperaturas muito altas ou muito baixas acarretam prejuízos. Controlar a temperatura vai fazer a empresa ter ganhos: no caso das máquinas climatizadores, podem renovar o ar nos ambientes internos das indústrias, melhorando o ambiente que, muitas vezes, fica poluído devido à emissão dos gases das máquinas; alguns climatizadores podem controlar inclusive a umidade do ar.

Controlar a temperatura vai muito além de manter medicamentos e alimentos conservados com suas propriedades. Monitorar e registrar temperatura garante lucros, evita perdas e os trabalhadores ficam mais envolvidos com o trabalho. Tratamentos médicos são mais eficazes em ambientes com controle de temperatura, fazendo com que pacientes e colaboradores se sintam cada vez melhores.


Equipamentos recomendados pela ANVISA

Existem alguns equipamentos de monitoramento e registro de temperatura que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) sugere para serem utilizados:

  • termômetro de momento;

  • termômetro de registro gráfico;

  • data loggers;

  • registros eletrônicos de frigorífico;

  • indicador de congelamento.

Ao fazer o registro e o monitoramento de temperatura, os máximos e os mínimos valores precisam ser as bases para análise e controle mais detalhados. Equipamentos eletrônicos fazem o registro e controle constante com grande precisão.

O investimento e a automatização dos processos tecnológicos dos controle de temperatura nas indústrias evitam perdas no que se refere aos custos financeiros, principalmente.

Para o controle da temperatura, os processos manuais apresentam grandes falhas, pois dependem do fator humano e há uma grande dificuldade de estabelecer procedimentos que devem ser cumpridos no monitoramento de temperatura. Além disso, constitui um trabalho frustrante, já que não existem especialistas que tenham apenas essa função, ficando incumbidos como tarefa extra dentro da profissão.

Muitas vezes, as consequências de não manter um controle constante de temperatura não aparecem a curto prazo e podem se manifestar depois de muito tempo. Lugares muito quentes facilitam a evaporação exagerada de água corporal, provocam envelhecimento precoce, irritabilidade, ansiedade, fraqueza, déficit de atenção e depressão.


O que diz a lei sobre medir temperatura ambiente nos locais de trabalho?

O que muita gente não sabe é que o empregador tem a obrigação de manter e controlar a temperatura em ambientes de trabalho. De acordo com as normas da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), em seu artigo 176, os locais de trabalho necessitam de ventilação natural adequada ao serviço realizado, sendo a ventilação artificial utilizada caso o ambiente não apresente conforto térmico.

O Ministério do Trabalho e Emprego, em sua norma regulamentadora 17, define que a temperatura efetiva em ambientes de trabalho de cunho intelectual deva estar entre 20 e 23 graus Celsius. A umidade relativa do ar nesses ambientes não pode passar de 40%.

Funcionários acabam ficando em risco caso sejam ultrapassados os limites estabelecidos na legislação. A produtividade também cai nas épocas mais quentes do ano, conforme relatórios feitos pela NASA: trabalhadores em empresas com temperaturas próximas a 34°C rendem 39% menos. E isso tem grandes consequências, pois existem chances de que decisões sejam tomadas de maneira errônea nestes ambientes, elevando esse risco a 700%.

Instituições que não seguem as regras de controle de temperaturas podem ser punidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e isso poderá causar grandes prejuízos econômicos. Quando se faz a má gestão da temperatura e conforto térmico nos ambientes de trabalho, multas punições e processos podem prejudicar violentamente as empresas, além de prejudicar os trabalhadores no futuro.


Manter e controlar a temperatura corretamente faz parte das normas de segurança do trabalho.


A ANVISA disponibiliza um manual de boas práticas referente ao armazenamento de produtos que sofrem com variações de temperatura e umidade. No site da ANVISA, encontra-se a documentação detalhada do transporte e estoque de produtos deste gênero. Além disso é possível encontrar detalhes de equipamentos que devem ser utilizados para monitoramento e registro de temperatura.

Medir temperatura ambiente é importante e pode produzir resultados surpreendentes. Trabalha melhor e produz mais quem está em uma situação de conforto térmico adequado com seu trabalho. Pessoas mais confortáveis podem ser menos irritadas e mais eficientes. Produtos mantêm suas características e não estragam em temperaturas adequadas.

Manter e controlar a temperatura pode parecer banal, mas é essencial para toda empresa.



Gostou do artigo? Se você gostou, curta nossa página no Facebook e Instagram fique por dentro de mais informações.

3 visualizações0 comentário